Google+ Rádio Gospel Hits: Orar pela cura ou tomar remédios? Igrejas africanas se tornam centro de polêmica por incentivarem portadores da AIDS a interromper tratamento

Divulgação 728 X 90

Player

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Orar pela cura ou tomar remédios? Igrejas africanas se tornam centro de polêmica por incentivarem portadores da AIDS a interromper tratamento

A cura de doenças é descrita na Bíblia como um milagre possível através da oração e da fé. Na contemporaneidade, os avanços da ciência tem possibilitado em alguns casos a cura de males através de tratamentos medicamentosos, e em outros, permitido aos doentes que convivam de maneira confortável com seus problemas de saúde.
O continente africano vive uma significativa expansão dos adeptos às igrejas evangélicas pentecostais e neopentecostais, e em muitos casos, os excessos cometidos por suas lideranças motivaram protestos de alerta por parte de outras lideranças cristãs.
Agora, o surgimento de defensores radicais do princípio de cura através da oração tem levantado dúvidas sobre o nível de responsabilidade e precaução dos pastores pentecostais e neopentecostais nas igrejas africanas.
De acordo com o Religion News Service, os cultos dedicados exclusivamente às orações para a cura se tornaram comuns nessas igrejas, e em muitos casos, os pastores convidam os infectados pelo HIV para irem receber oração pela cura e, após orarem, queimam os remédios antirretrovirais na frente do público.
“Eu acredito que as pessoas podem ser curadas de todos os tipos de doenças, incluindo o HIV, através de orações”, defende-se o pastor José Maina, líder da igreja Oração Agmo Montanha, na periferia de Nairóbi, capital do Quênia. “Nós geralmente os guiamos. Nós não pedimos dinheiro, mas pedimos-lhes para deixar algum dinheiro semente que quiserem”, acrescenta.
A postura do pastor, no entanto, é bastante questionada por pessoas que concederam depoimentos ao jornalista Fredrick Nzwili. Muitos revelaram que as curas muitas vezes custam todas as economias dos doentes.
As autoridades de Saúde dos países africanos tem demonstrado preocupação com a expansão dos cultos de cura, pois a situação clínica de muitos pacientes tem piorado, e a interrupção do tratamento à base de antirretrovirais pode levar o soros-positivos a desenvolver em seu organismo uma resistência aos medicamentos.
Uma organização internacional chamada INERELA tem registrado, pelo menos, 10 casos por mês de pessoas infectadas com o HIV que tem seu estado de saúde piorado depois de interromper o tratamento por ter recebido a oração de cura nas igrejas pentecostais e neopentecostais.
“Esses pastores deveriam estar na cadeia”, afirmou a fiel Margaret Lavonga, que participou de um desses cultos e teve que desembolsar o equivalente a US$ 36 para receber a oração e depois perceber que seu estado de saúde estava piorando.
O reverendo Adama Faye, representante da Igreja Luterana no Senegal, disse que essas orações de cura milagrosa resultam em danos graves não só para aqueles que são portadores do HIV, mas também a toda sociedade: “Estamos preocupados pois isso está negando conquistas [da ciência] contra o HIV e AIDS. Os governos também devem manter estreita vigilância sobre aqueles pastores que enganam as pessoas através dos milagres”, alertou.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...