Google+ Rádio Gospel Hits: Folha de S. Paulo expressa preconceito contra evangélicos ao noticiar tragédia em igreja

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Folha de S. Paulo expressa preconceito contra evangélicos ao noticiar tragédia em igreja


Uma publicação na página da Folha de S. Paulo no Facebook gerou enorme repercussão entre evangélicos que usam a rede social e obrigou o jornal a reescrever a manchete considerada ofensiva.


Ao anunciar no Facebook a notícia sobre a morte de um jovem por espancamento dentro de uma igreja evangélica nos Estados Unidos, o jornal usou de sarcasmo e expressou preconceito: “Coisas que só as igrejas fazem por você”, dizia o texto, seguido do link para a notícia.

A morte de Lucas Leonard, de 19 anos, foi comandada pelos próprios pais, Deborah, 59 anos, e Bruce Leonard, 65, durante o que se chamou de ritual de exorcismo. Outro filho do casal, Christopher, 17 anos, também foi agredido.

Lucas foi socorrido a um hospital, mas já chegou morto. Christopher foi resgatado pela polícia e vem sendo mantido internado. “Ambos os irmãos foram continuamente sujeitos a punições físicas durante várias horas com o objetivo de que ambos confessassem seus pecados e pedissem perdão”, afirmou Michael Inserra, chefe da polícia de New Hartford, no estado de Nova York (EUA).

Manchete questionável do jornal

A maneira como a Folha apresentou esta tragédia aos seus leitores foi bastante criticada. O blogueiro Danilo Fernandes, editor do site Genizah, afirmou que “ao apresentar a notícia antecedendo a matéria editorialmente com o comentário ‘Coisas que só as Igrejas fazem por você’, este noticioso adota um discurso de ódio e revela intolerância e preconceito contra evangélicos, católicos e demais grupos cristãos que, obviamente, não tem neste delito, ‘o linchamento de filhos até a morte’, a sua regra de fé e prática”.
Fernandes foi além e lembrou que é comum o jornal se referir a religiosos de forma agressiva: “Esta não é a primeira vez que a Folha de São Paulo adota um discurso de intolerância contra a Igreja, em especial, a sua porção mais conservadora. Progressistas costumam ser mais bem tratados, em especial quando defendem teses como aborto, casamento gay e outras. Acho [que] já passou da hora do povo evangélico, suas representações políticas e organizações de juristas se posicionarem e exigirem retratação da Folha de São Paulo”, opinou.

Após diversas outras manifestações, os responsáveis pela página da Folha no Facebook alteraram a chamada para “O jovem e seu irmão mais novo foram sujeitos a punições físicas durante várias horas com o objetivo de que ambos confessassem seus pecados”. A sutil mudança não passou despercebida: “O estagiário ateu tirou a gracinha da página?”, questionou o jornalista Thiago Cortês, colunista do Gospel+, através de seu perfil na rede social

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...