Google+ Rádio Gospel Hits: Libertação de Youcef Nadarkhani: Marco Feliciano mobiliza autoridades brasileiras para uma intervenção

Divulgação 728 X 90

Player

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Libertação de Youcef Nadarkhani: Marco Feliciano mobiliza autoridades brasileiras para uma intervenção

Com a situação do pastor Youcef Nadarkhani cada vez mais incerta, e a iminência de sua execução pelo crime apostasia por parte de autoridades iranianas, o deputado Marco Feliciano levou o assunto ao governo brasileiro.



Em conversa com o secretário-geral da Presidência da República, ministro Gilberto Carvalho, da chefe da Casa Civil, e a ministra Gleice Hoffmann, o governo se prepara para interceder junto ao governo do Irã sobre o caso.
Deputado Marco Feliciano

Segundo declarações de Feliciano, a ministra Gleice Hoffmann afirmou que o Itamarati já está intercedendo por intermédio do ministro de Relações Exteriores Antônio Patriota, e do embaixador do Brasil no Irã, Antonio Salgado, para tentar impedir as autoridades iranianas de executar a pena de enforcamento imposta ao líder religioso e apelar pela sua libertação.

O Brasil goza de boas relações diplomáticas com o país do Oriente Médio cuja religião dominante é islamismo.

Vários organismos internacionais já se posicionaram a favor da imediata libertação do pastor, entre eles a Casa Branca e o Departamento de Estado do EUA, além da União Européia e do secretário de Relações exteriores britânico, William Hague. A pressão se dá pela clara violação à Declaração Universal dos Direitos Humanos, de liberdade de fé e crença.

Entenda o caso

Nadarkhani se converteu aos 19 anos, três anos depois já passou a praticar o evangelismo na cidade de Rasht, noroeste de Teerã. Ele chegou a liderar um grupo de cerca de 400 cristãos no Irã. As acusações que pesam contra ele são atualmente apostasia e tentar evangelizar muçulmanos.

Em outubro de 2009 foi preso por protestar contra o ensino do Islã na escola de seus filhos.
Youcef Nadarkhani

Execução por enforcamento foi a sentença para o crime de apostasia, mas, após pressão internacional sobre o sistema judicial iraniano o veredicto foi adiado, passando o caso para ser revisto pelo aiatolá Ali Khamenei, autoridade suprema da nação.

A esposa de Nadarkhani chegou a ser detida, e condenada à prisão perpétua mas depois foi libertada.

Foi oferecido ao pastor por três vezes a proposta de retornar ao islamismo e ser poupado da pena de morte, mas ele não aceitou.


Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...